Você está aqui: Página Inicial > Modais > Infraestrutura Aquaviária > Hidrovias > Hidrovia do Mercosul > Hidrovia do Mercosul

Hidrovia do Mercosul

por Andre Alberti publicado 29/06/2016 09h58, última modificação 20/07/2016 17h08

A hidrovia é constituída pelos rios Jacuí, Taquari, Caí, Sinos, Gravataí, Camaquã e Jaguarão, que se ligam à lagoa dos Patos através do Lago Guaíba, com continuidade no canal de São Gonçalo e na Lagoa Mirim e na bacia do rio Uruguai. Com 1.860 quilômetros de vias navegáveis, trata-se de um eixo de fundamental importância para o intercâmbio comercial entre o Brasil e o Uruguai.

 A Lagoa Mirim, na fronteira, apresenta interesse binacional, uma vez que 74% de sua superfície estão em território brasileiro, no Rio Grande do Sul, e o restante no Uruguai. O Rio Uruguai poderá proporcionar, no futuro, ligação hidroviária desde o rio Ibicui e a cidade de São Borja aos portos de Nova Palmira, Montevideo e Buenos Aires.

 A Hidrovia é composta por trechos navegáveis da Lagoa Mirim (190 km), rio Jaguarão (40 km), Canal São Gonçalo (91 km), Lagoa dos Patos (221 km), Lago Guaíba (56 km), rio Jacuí (255 km), rio Camaquã (30 km), rio Taquari (100 km), rio dos Sinos (44 km) e rio Gravataí (15 km) e bacia do rio Uruguai (420 km).

No rio Jacuí há três barragens eclusadas: Amarópolis, no município de General Câmara, Dom Marco, em Rio Pardo e Fandango, na cidade de Cachoeira do Sul. No rio Taquari, a barragem eclusada de Bom Retiro do Sul está localizada na cidade homônima, e no rio Caí fica a primeira eclusa construída na América Latina. Além dessas cinco, construídas para regularizar a navegação nos rios, foi construída em Capão do Leão, no canal de São Gonçalo, a barragem eclusada para impedir a salinização da Lagoa Mirim.

 A média anual de movimentação de cargas pela hidrovia é de 4,5 milhões de toneladas por ano, desde o início desta década. Fertilizantes e adubos, combustíveis, óleos minerais, produtos químicos orgânicos, grãos, principalmente soja e trigo, celulose e carvão mineral são alguns dos principais produtos transportados. O funcionamento da hidrovia trará incremento para a economia regional, com desenvolvimento mais sustentável. Atualmente podem navegar embarcações com 90 metros de comprimento, 15,5 metros de boca e 2,5 metros de calado.

O projeto da nova Hidrovia Brasil-Uruguai planeja incrementar o transporte mediante abertura de novos terminais, pela melhoria de navegabilidade de alguns portos e pelo recebimento de carga uruguaia.