Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Administração Hidroviária do São Francisco intensifica ações em 2019

Notícias

Administração Hidroviária do São Francisco intensifica ações em 2019

RETROSPECTIVA

Entre as atividades de infraestrutura aquaviária, o DNIT realizou manutenção na hidrovia
por publicado: 27/12/2019 12h49 última modificação: 27/12/2019 12h49

O ano de 2019 foi produtivo para a Administração Hidroviária do São Francisco (AHSFRA), que é responsável por desenvolver e implementar ações nas hidrovias do respectivo sistema. Entre as atividades realizadas ao longo do ano, o Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT) – por meio da AHSFRA – fez a manutenção das bombas de esgotamento da eclusa de Sobradinho, na Bahia, e preparou várias licitações em conjunto com a equipe da Diretoria de Infraestrutura Aquaviária (DAQ).

No período, foi realizada toda a fase interna do processo de licitação do levantamento hidrográfico no segmento de Pirapora, em Minas Gerais, até Pilão Arcado Velho, na Bahia; e do diagnóstico para operação e manutenção da Eclusa de Sobradinho, também na Bahia; além da contratação da vigilância armada para o local – contrato considerado importante por ser tratar de uma área de segurança e que constantemente recebe visitação turística.

Em Pernambuco, foi estruturado o escritório hidroviário em Petrolina. E no trecho mineiro de Pirapora até Cariranha, na Bahia, foi realizada inspeção conjunta com a Marinha para verificar a sinalização implantada e atualização do croqui de navegação.

A Eclusa de Sobradinho também recebeu visita técnica da equipe da DAQ, acompanhada pela AHSFRA e por engenheiros do Corpo dos Engenheiros do Exército Americano (USACE). Além de fazer levantamentos e inspeções técnicas nos equipamentos, o grupo se reuniu com empresários interessados em transportar pela hidrovia.

Para 2020, estão previstas contratações de serviços de supervisão na Eclusa de Sobradinho e de sinalização náutica de Petrolina (PE) até Ibotirama – em um primeiro momento – e de Ibotirama até Pirapora (MG). O primeiro trecho a ser sinalizado tem grande demanda de navegação turística.

Hidrovia do São Francisco

A hidrovia do São Francisco é a via mais econômica de ligação entre o Centro-Sul e o Nordeste do Brasil e tem 2.354 km de extensão total, com 1371 km de estirão navegável entre Pirapora (MG) e a travessia fluvial Juazeiro (BA)-Petrolina (PE). A hidrovia se estende pelos rios São Francisco, Paracatu, Grande e Corrente. A bacia do rio São Francisco, com 641 mil km² de área, representa cerca de 7,5% do território nacional e é distribuído por Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Goiás, e Distrito Federal.

O Sistema Hidroviário do São Francisco é parte de uma cadeia multimodal de exportação de produtos agrícolas. A retomada da navegação pela hidrovia deve reduzir o custo na logística de transporte de grãos e algodão no cerrado a oeste da Bahia e Sul do Piauí e, também, da cultura de frutas e de cana-de-açúcar irrigada na região do Vale do São Francisco, bem como de outras atividades importantes como a avicultura concentrada no entorno de Feira de Santana (BA), Recife (PE), Caruaru (PE) e Fortaleza (CE). Também será positivo para os polos minerários de gipsita em Araripina (PI), que alimentam a indústria de gesso e fornecem o material às culturas agrícolas; e o de calcário agrícola, próximo à Ibotirama.

 Coordenação de Comunicação Social - DNIT