Você está aqui: Página Inicial > Notícias > BR-101 Sul: conheça o programa de Recuperação de Passivos Ambientais

Notícias

BR-101 Sul: conheça o programa de Recuperação de Passivos Ambientais

por publicado: 05/07/2018 10h18 última modificação: 05/07/2018 10h18

O cuidado em recuperar as jazidas de aterro e rochas, usadas na duplicação da BR-101 Sul, no trecho entre os municípios de Palhoça (SC) e Osório (RS) também foi empregada em outras áreas que já haviam sido utilizadas ou degradadas pelo uso da rodovia federal. Dentre os 22 Programas socioambientais e um Estudo, demarcados pelo Plano Básico Ambiental (PBA) da duplicação, está o programa de Recuperação de Passivos Ambientais, que atuou para mitigar estes impactos já caracterizados.

Acompanhando a duplicação da BR-101 Sul, as ações de mitigação socioambientais trazidas pelo PBA possibilitaram a recuperação ambiental de antigas áreas utilizadas ou abandonadas por outras obras. Seja de implantação da pista ou trabalhos de recuperação da plataforma, elas aconteceram durante as décadas de operação da rodovia federal quando em pista simples. Estas áreas estavam dentro e/ou fora da faixa de domínio, as quais podem se tornar um problema ambiental, caso não fossem tomadas as medidas necessárias em prol de sua recuperação.

A recuperação de áreas apontadas como passivo ambiental foi compromisso firmado pelo DNIT junto ao IBAMA. A formação dessas áreas foram ocorrências de inadequada condução de drenagem pluvial, de interferências com estruturas urbanas e de retirada de materiais de construção, aliados a problemas relacionados com jazidas e pedreiras desativadas, erosões ao longo do acostamento, assoreamento, entre outros.

Os serviços de recuperação ambiental envolveram, por exemplo, o preparo de áreas para reabilitação, a reconformação do terreno, a recomposição das camadas de solo orgânico, instalação de rede de drenagem, análises física e química do solo, seleção de espécies nativas, produção de mudas, proteção de taludes, entre outros, que tornaram possível a implementação do conceito de desenvolvimento sustentável. No segmento catarinense foram recuperadas 122 áreas e no segmento gaúcho 26 áreas de passivos ambientais identificados.

04/07/2018

ASCOM/DNIT