Você está aqui: Página Inicial > Notícias > DNIT inicia realocação de moradores das margens da BR-116 em Pelotas

Notícias

DNIT inicia realocação de moradores das margens da BR-116 em Pelotas

Ato de entrega das residências ocorre nesta quarta-feira (28/03)
por publicado: 28/03/2018 11h14 última modificação: 28/03/2018 11h17

Em continuidade ao processo de compra assistida, definido em mutirão de conciliação em conjunto com a Justiça Federal do Rio Grande do Sul (JFRS), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) começou, na segunda-feira (26/03), a realocar famílias que vivem em condição de vulnerabilidade social no entroncamento da BR-116 com a Avenida Cidade de Lisboa, em Pelotas. 

Dando sequência às primeiras sete escrituras assinadas no fim do mês passado, nesta quarta-feira (28/03), mais cinco escrituras serão assinadas, incluindo famílias da região da Vega. Com os primeiros sete beneficiados, esta segunda etapa totaliza 50% do processo. “Esta fase simboliza o êxito do programa de compra assistida, uma vez que ele reduz o tempo de realocação das famílias e viabiliza que elas escolham as novas moradias”, destacou o superintendente Regional do DNIT, engenheiro Hiratan Pinheiro da Silva. O restante dos moradores será realocado conforme o processo avance.

A senhora Sônia Mara da Silva Nunes, 65 anos, morava no entroncamento da BR-116 com a Avenida Cidade de Lisboa há 30 anos. Na última segunda-feira (26/03), seu novo endereço passou a ser no bairro Guabiroba. “Eu sonhava em morar em um apartamento. Agora começa uma nova história e aqui só quero deixar as lembranças ruins”, revelou. “Sempre fui bem orientada pelo DNIT, o que me passou confiança. Estas pessoas agora também fazem parte da minha vida”, finalizou.

No projeto das obras de duplicação do Contorno de Pelotas, o DNIT mapeou 24 famílias em áreas irregulares, distribuídas próximo à Avenida Cidade de Lisboa, Vega e Avenida Duque de Caxias. A compra assistida foi o processo encontrado para a realocação destes moradores em função do contexto econômico-social e devido às avaliações das benfeitorias serem inviáveis para uma indenização tradicional. O DNIT disponibiliza aos beneficiados, durante todas as etapas, acompanhamento social e jurídico.  

28/03/2018

ASCOM/DNIT/RS - Gestão Ambiental