Você está aqui: Página Inicial > Notícias > DNIT licita serviços de manutenção via CREMA no Mato Grosso

Notícias

DNIT licita serviços de manutenção via CREMA no Mato Grosso

Rodovias contempladas são importantes rotas para escoamento da safra agrícola do estado líder na produção de milho e soja
por publicado: 21/12/2016 18h16 última modificação: 21/12/2016 18h19

As estradas federais brasileiras ainda são o mais importante modal que transporta riquezas em um país de dimensões continentais. Entre elas, os produtos agrícolas que abastecem e alimentam diariamente milhões de brasileiros, além de engrossar as exportações que equilibram os números da nossa balança comercial. Mato Grosso é origem de grande parte da produção do agronegócio nacional. Assim, para garantir que não haja interrupções em duas importantes rotas de escoamento – a BR-163/MT e a BR-158/MT com a BR-242/MT –, o DNIT licitou serviços de manutenção estruturada dessas rodovias pelo Programa de Contratação, Restauração e Manutenção por resultados de Rodovias Federais Pavimentadas (CREMA).

 Os avisos de licitação foram publicados no Diário Oficial da União (D.O.U) desta quarta-feira (21/12). O primeiro trecho compreende nove segmentos da BR-163/MT, em 277 quilômetros de rodovias. O segundo prevê recuperações em 130 quilômetros de pavimento e envolve trechos da BR-158/MT e BR-242/MT. “O trajeto também é importante rota de escoamento até a região conhecida como médio e baixo Araguaia, onde possibilita que essa produção vá alcançar o Porto de Itaqui, no Maranhão”, salientou o diretor de Infraestrutura Rodoviária (DIR) do DNIT Luiz Antônio Garcia. O Terminal de Grãos do Maranhão (TEGRAM) é um projeto estruturante que transformará o Porto do Itaqui em referência nacional na exportação.

 O investimento para os dois trechos de recuperação e manutenção deverá somar cerca de R$ 200 milhões. Para a BR-163/MT, o contrato será de R$ 153,4 milhões, e para a BR-158/MT, o valor chega a R$ 50,3 milhões.  Luiz Antônio Garcia destacou que a ação visa a melhoria da logística da produção agrícola do estado de Mato Grosso. “O percurso é muito importante para a vazão da safra de diversas culturas, como a soja e o milho, até Miritituba, no Pará. Lá, os grãos embarcam nos portos e seguem através do Rio Tapajós. A rota rodoviária no estado, então, é de extrema importância para o escoamento da produção e justifica nossa atenção em todos os aspectos que envolvem conservação e manutenção do pavimento”, explicou.

 O Superintendente Regional do DNIT em Mato Grosso, Orlando Machado, destacou que o contrato de manutenção referente à rodovia BR-163 terá a vigência de cinco anos e, para a BR-158, garante os serviços de forma ininterrupta por três anos. “Isso representa um reforço na manutenção da qualidade do pavimento dessas estradas federais, de modo a atender plenamente as necessidades de trafegabilidade, garantindo segurança a todas as cargas e também conforto aos usuários”, salientou.

Produção agrícola no MT
Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) deste ano apontam que Mato Grosso é o principal estado produtor de milho, soja e algodão em pluma no país; o estado também representa o terceiro maior produtor de feijão e quarto maior produtor de arroz. As informações estão contidas no levantamento Projeções do Agronegócio, da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Segundo o estudo, a safra brasileira deverá fechar o período 2015/2016 com 196,5 milhões de toneladas de grãos.

                                                                                      21/12/2016

 ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO / DNIT