Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Obras Complementares, na BR-101/SC, focam na mobilidade urbana

Notícias

Obras Complementares, na BR-101/SC, focam na mobilidade urbana

BR-101/SC

por publicado: 03/10/2018 16h07 última modificação: 03/10/2018 16h07

As Obras Complementares à duplicação da BR-101 Sul catarinense focam a mobilidade urbana para veículos e pedestres. Com a expansão rodoviária finalizada, a construção de vias laterais, calçadas e obras de artes especiais (OAEs) garantem a circulação segura de pedestres e a trafegabilidade dos automóveis entre bairros lindeiros, liberando o fluxo de veículos em longo curso.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) mantem trabalhos construtivos para novas vias laterais em Bentos (Laguna) e Santiago/Taquaruçu, em Pescaria Brava. Nesses segmentos, as ruas lindeiras vão acrescer novos corredores entre aglomerados urbanos, facilitando a mobilidade entre comunidades. Ao todo, cerca de 4,9 mil metros de novas vias serão construídas nos próximos meses.

O lote de Obras Complementares e Remanescentes se estende do km 300, em Laguna, até o km 358, em Sangão e já construiu e liberou cerca de dois mil metros de vias laterais. No km 339, em Tubarão, o DNIT/SC também construiu – e já liberou ao tráfego – um novo viaduto, para acesso e retorno de sentido, ligando as comunidades de Fábio Silva, via Vila Cruzeiro e chegando ao Sertão dos Corrêas. Essa ligação sob o fluxo da rodovia federal resolve o problema de comunicação terrestre entre os aglomerados urbanos, que antes somente era possível percorrendo um retorno em nível, intervindo no denso trânsito que se formava no Morro do Formigão.

Se novos espaços foram preparados para os veículos, os pedestres também têm plataformas para circulação e travessia segura de pistas. Quatro novas passarelas foram construídas em Capivari de Baixo (km 326, em Vila Flor) e Tubarão (km 334, Humaitá, km 336, no Morrotes e km 342, em São Cristóvão). Para complementar, foram construídos e liberados outros 1,5 mil metros de calçadas em Pescaria Brava com 2,2 mil metros construídos em na travessia urbana do bairro São Cristóvão.

Esse foco na mobilidade urbana entre bairros atende aos requisitos do Programa de Melhoria nas Travessias Urbanas, ação socioeconômica e ambiental contemplada pelo Plano Básico Ambiental (PBA) das obras de duplicação, na BR-101 Sul. Esse programa tem como meta a adequação do planejamento, construção e operação da rodovia, de modo a integrá-la ao espaço urbano, através do planejamento estratégico entre comunidades, órgãos públicos e o empreendedor (DNIT).  

Com a implantação das pistas duplicadas, foi inserida no projeto a construção das passarelas, passagens inferiores para pedestres, passagens inferiores de veículos, ruas laterais, calçadas, faixas de pedestres, sinalização vertical, ciclo faixas e pontos de ônibus, para melhor atender os moradores e usuários da rodovia, priorizando a segurança dos mesmos, tanto no período de obras como depois de concluídas.

Nas obras de duplicação da BR-101 Sul, entre Palhoça (SC) a Osório (RS) foram construídas 34 passarelas e 24 passagens inferiores de pedestres, sem contar 211 quilômetros de vias laterais construídas somente no trecho catarinense, calçadas, ciclo faixas em Laguna, Tubarão e nas comunidades lindeiras do trecho gaúcho.

03/10/2018

ASCOM/DNIT